Please reload

Posts Recentes

Microfone: conhecendo melhor a sua ferramenta de trabalho

11 Apr 2017

 

De uma maneira geral todos nós reconhecemos o microfone como um equipamento eletrônico usado para registro ou amplificação da voz, independente da nossa área de atuação profissional. Mas, como profissionais de comunicação, que tem o microfone como sua principal ferramenta, seria bom conhecermos um pouco além disso, não é mesmo? Vamos lá:

 

O QUE É O MICROFONE?

 

Podemos dizer que o microfone é um "ouvido eletrônico".  É ele que torna possível o registro, amplificação e transmissão da sua voz exatamente da maneira como ela é percebida naquele ambiente. Mas, como isso acontece? O microfone é um dispositivo transdutor, ou seja, ele converte energia acústica em energia elétrica mantendo as mesmas características de oscilação, intensidade e frequência da onda sonora que chega até ele.

 

Os microfones podem ser construídos de diferentes formas que caracterizam o processo de conversão e diretividade de cada modelo. Vamos conhecer os principais:


Quanto à diretividade os microfones podem ser:
Omnidirecionais: captam com a mesma sensibilidade sons vindos de todas as direções.

Bidirecionais: têm sua maior sensibilidade para os sons vindos pela frente e por trás.

Unidirecionais: sua melhor sensibilidade ocorre para os sons vindos da frente. Estes pertencem à família dos cardioides.

 

Esta característica de diretividade é representada pelo diagrama polar que, no caso do cardioide, ganhou esse nome graças à semelhança com um coração (de ponta cabeça). Veja abaixo os principais padrões polares:
 

 

Para locução usa-se, normalmente, os microfones unidirecionais. Os omnidirecionais apenas em casos mais específicos. Destes, os mais comuns são os microfones de lapela ou Lavalier, aqueles que vemos presos à roupa dos apresentadores de telejornais e os microfones de mão usados por repórteres em entrevistas.

 

Quanto ao tipo construtivo, os mais comuns e utilizados são os do tipo dinâmico e os do tipo a condensador. Vamos conhecer um pouco sobre cada um deles:

 

MICROFONE DINÂMICO

 

 

Esse tipo de microfone tem o princípio construtivo basicamente igual ao de um alto-falante, ou seja, trata-se de uma bobina imersa em um forte campo magnético, acoplada a uma membrana (diafragma) que vibra com as ondas sonoras fazendo a bobina se movimentar dentro deste campo gerando uma corrente elétrica proporcional a este movimento. Mas o peso deste conjunto diafragma + bobina fazem dele um microfone pouco sensível aos sons mais baixos, lhe rendendo a fama de microfone “duro”, porém, extremamente resistente. Essa pouca sensibilidade não significa baixa qualidade e sim sua característica. E por serem menos sensíveis são os mais indicados para os locutores que gravam em ambientes acústicos sem tratamento. Também são muito usados em shows, em grande parte, por essa propriedade. Eu já gravei muito com o Shure Beta-58 e Electrovoice RE20.


Suas principais características são: facilidade de uso, resistência mecânica, baixa sensibilidade.

 

MICROFONE A CONDENSADOR OU CAPACITIVO OU CONDENSER

 

 

Este tipo de microfone trabalha com uma tecnologia completamente diferente do microfone dinâmico. Para você ter uma ideia, não possui ímã nem bobina! O seu princípio de funcionamento baseia-se no capacitor, componente eletrônico que possui a capacidade de reter cargas elétricas. Em sua construção, duas placas condutoras, uma rígida e outra leve e flexível, montadas paralelas e muito próximas separadas por um isolante, no caso o ar, recebem uma tensão contínua, carregando-as eletricamente. As ondas sonoras fazem vibrar a placa flexível, que é o diafragma do microfone, variando a distância para a placa rígida e assim fazendo a tensão variar analogamente à pressão do som incidente. Essa pequena variação de tensão será amplificada pelo circuito eletrônico interno que pode ser transistorizado ou valvulado, conforme o modelo do microfone.


Suas principais características são: alta sensibilidade, ampla resposta em frequência, necessidade de operação cuidadosa devido à exigência da alimentação Phanton Power.

 

PHANTON POWER

 

Trata-se de uma fonte de alimentação, normalmente de 48 Volts corrente contínua, para os circuitos dos microfones a condensador. Como vimos anteriormente, esses microfones dependem dessa alimentação para funcionar, coisa que os microfones dinâmicos não precisam.

E atenção: nunca desconecte ou conecte seu microfone a uma mesa ou interface de áudio com a Phanton Power ligada. Os equipamentos que recebem o sinal do microfone tem uma chave para comutar essa energia que os alimenta.

 

Quer saber mais sobre microfones ou ficou com dúvidas? Deixe um comentário abaixo.

Até mais!

 

 

Please reload

Siga
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square