Please reload

Posts Recentes

Tipos de narração e dicas para interpretar melhor

5 Jul 2016

 

Há quanto tempo você trabalha com locução publicitária? Cinco, dez, vinte anos? O tempo é um dos indicadores diretos para o amadurecimento profissional, mas, muitas vezes, essa segurança cega nos deixa surdos, e não é muito difícil cometermos erros bobos que passam despercebidos pelos ouvidos leigos.

 

Como dentro da comunicação publicitária temos diferentes tipos de narrações interpretativas, é comum encontrar gravações que não conseguem se destacar por pouco investimento interpretativo. Um bom profissional de voz é aquele que agrega identidade sonora para o produto ou serviço, assim como um designer cria a identidade visual.

 

Confira algumas dicas que vão ajudar a identificar o tipo de texto e como dar uma interpretação mais adequada:

 

1- Narração com diferentes sentimentos

 

Embora não seja exigido curso de interpretação para ser um locutor publicitário, sabemos que uma narração bem feita, necessariamente, foi bem interpretada.

 

De repente você se depara com um roteiro que orienta para que o texto seja lido de forma mais alegre ou triste; que seja interpretado com uma voz mais grave, sensual ou uma voz mais doce, suave, ou seja, o roteiro pede para que você interprete sentimentos e emoções, e isso quer dizer que você precisa atuar.

 

Dica: todas as palavras dentro do texto a ser narrado tem uma razão para estarem lá, sendo que este conjunto de palavras deve transmitir uma ideia. O texto deve ser interpretado por inteiro de forma a construir, na cabeça do ouvinte, uma imagem daquilo que está sendo vendido. O texto quer vender um sonho? seja esse vendedor de sonhos.

 

2- Narração ficcional (audiobook, por exemplo)

 

Geralmente nesse tipo de narração, exige-se alguns tipos de vozes. Se você for capaz de interpretar todas, procure fazer de modo a não deixar claro que se  trata apenas de um locutor nos diferentes textos. Caso não esteja seguro disso, procure outros locutores para fazer parte dessa gravação, principalmente se no texto for recomendada voz masculina e voz feminina, a não ser que você tenha o dom de imitar voz de mulher (no caso do locutor homem) que pareça extremamente natural - ou ainda -  que esteja explícito no roteiro que a voz deve ser caricatural, o que dá margem à criatividade e você pode explorar diversas entonações e interpretações até chegar a mais adequada.

 

Dica: ao imitar um sotaque, por exemplo, caso você não faça a mínima ideia de como pronunciar as palavras, estude um pouco. Certamente em alguma rede social sua você vai encontrar pessoas de outras regiões e é bem provável que alguma fale exatamente com o sotaque que você precisa conhecer. Ligue, converse, procure absorver as expressões regionais mais comuns.

 

3- Filmes publicitários para TV

 

Hoje estamos “presos” a quatro telas: TV, Computador, Tablet e Smartphone. Acredite, muita gente usa esses dispositivos simultaneamente. Dessa forma, o que será capaz de  despertar a atenção de um multitarefado para fazê-lo direcionar seu olhar exclusivamente para a TV? Certamente algum som diferenciado ou uma voz incomum. E voz em comercial é de extrema importância.  O produtor pode sugerir a adição de um efeito sonoro, como uma campainha, por exemplo. Você deve ajudar concentrando-se em interpretar bem o texto e em dar o seu melhor para ganhar a atenção do telespectador.

 

Dica: diga a primeira palavra de forma clara e sem pressa. Esta é sempre uma boa dica, pois gera expectativa e faz com que em uma fração de segundos aquela pessoa volte a sua atenção para a imagem projetada na TV com a ajuda de um efeito sonoro. Caso no roteiro não tenha essa direção, e se você acha cabível, sugira ao produtor.

 

4- Narração “médica” (vídeos institucionais)

 

Depois de saber a pronúncia correta de palavras como "oftalmotorrinolaringologista" e "tumores neuroendócrinos", pratique cada sílaba e palavra potencialmente problemática até que você consiga pronunciar como se já tivesse nascido sabendo pronunciá-las.

 

Dica: acima de tudo, é importante entender o que você está lendo. Você não precisa ser um médico para passar bem a mensagem que já está escrita e aprovada por quem entende do assunto, você só precisa saber que “oftalmotorrinolaringologista” é um profissional especializado nas doenças dos olhos, ouvidos, nariz e garganta, e isso lhe dará informações suficientes para entender sobre o que está narrando.

 

Seja como for, não se pode contar bem uma história - seja qual for - se você não entender o que está acontecendo dentro daquele tema, incluindo os pontos apropriados para dar ênfase, emoção, onde o ouvinte pode precisar de mais tempo para entender o que está sendo dito.

 

Gostou das dicas? Dê um like! Tem alguma sugestão? Comente!

No próximo post traremos a parte II desse assunto.

Até mais!

Please reload

Siga
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square